O Norte

| O NORTE

O Norte é uma das regiões que constituem os Sete Reinos de Westeros. A região cobre toda a área ao sul da Muralha e a norte do Gargalo. O Norte foi governado pela Casa Stark durante milhares de anos até à Guerra dos Cinco Reis.
Os bastardos que nascem no Norte recebem o sobrenome ‘Snow’.

A região do Norte é a maior de todos os Sete Reinos, é quase tão grande como os outros seis Reinos juntos. A região é pouco povoada, com grandes áreas florestais, montanhas repletas de neve e dotada de poucas vilas e fortalezas. O clima é sempre muito ameno, e até mesmo no verão é costume nevar, ocasionalmente.

O Norte possui duas grandes barreiras protetoras. A norte, a Muralha que protege as terras do Norte das ameaças que vêm das Terras Além da Muralha e a sul os pântanos do Gargalo que é uma região estreia e de terrenos difíceis, sendo uma barreira natural para o Norte que tem em Fosso Cailin a única passagem para o Norte.

Espalhadas ao longo das costas este e oeste, encontram-se diversas ilhas, umas habitadas outras desertas. Dois grandes rios dividem o Norte: o Faca Branca, que se estende até Porto Branco, permitindo assim uma rota de comércio entre Winterfell e o Mar Estreito, e o Rio Último, que corre pelo norte em direção à Última Lareira. O Norte é banhado por dois grandes mares: o Mar do Poente a oeste, e o Mar Tremente a este.

Fonte: Wiki Game of Thrones Br

O Norte.

|A história do Norte e do seu povo

O vasto e frígido reino dos Reis de Inverno, os Stark de Winterfell, é geralmente encarado como o primeiro e mais antigo dos Sete Reinos, no sentido de ter resistido por conquistar durante mais tempo. Os caprichos da geografia e da História separaram o Norte dos seus vizinhos do Sul.

Diz-se frequentemente que o Norte é tão grande como os outros seis reinos juntos, mas a verdade é algo menos grandiosa: o Norte, tal como é hoje governado pela Casa Stark de Winterfell, compreende pouco mais de que um terço do reino.

Começando no limite meridional do Gargalo, os domínios dos stark prolongam-se para norte até à Nova Dádida (ela própria parte do seu território até que o Rei Jaehaerys I convenceu Winterfell a ceder essas terras à Patrulha da Noite). O Norte engloba grandes florestas, planícies varridas pelo vento, colinas e vales, costas rochosas e montanhas coroadas de neve. O Norte é uma terra fria – muita da qual se compõe de pauis e planaltos elevados que dão lugares a montanhas nos seus limites mais setentrionais – e isto torna-a muito menos fértil do que as terras do Sul. Conhecem-se casos de lá ter nevado mesmo no verão, e os invernos são mortíferos.

Porto Branco, a única cidade verdadeira do Norte, é a mais pequena cidade dos Sete Reinos. As vilas mais proeminentes do Norte são a “vila de inverno”, à sombra da muralha de Winterfell, e a Vila Acidentada nas Terras Acidentadas. A primeira está praticamente vazia na primavera e no verão mas enche-se até rebentar no outono e no inverno com aqueles que procuram a proteção e o emparo de Winterfell para os ajudar a sobreviver aos tempos magros. Não só chega gente das aldeias e quintas em redor, como se sabe de muitos filhos e filhas dos clãs das montanhas que descem à vila de inverno quando a nove começa a cair a sério.

Também Vila Acidentada é de certa forma uma curiosidade – um lugar de reunião, construído no sopé de uma antiga sepultura que tem a reputação de pertencer ao Primeiro Rei, que em tempos terá reinado supremo sobre todos os Primeiros Homens, se for possível crer nas lendas. Erguendo-se no meio de uma planície vasta e vazia, a vila prosperou graças à astuciosa direção dos Dustin, leais vassalos dos Stark, que governam as Terras Acidentadas em seu nome desde a queda dos últimos Reis das Tumbas.

Os homens do Norte descendem dos Primeiros Homens e o seu sangue só lentamente se foi misturando com o dos ândalos que dominaram os reinos a sul. A língua original dos Primeiros Homens – conhecida como Língua Antiga – acabou por ser falada só pelos selvagens do outro lado da Muralha, e muitos outros aspectos da sua cultura foram-se desvanecendo (tais como os aspectos mais macabros da sua religião, em que criminosos e traidores eram mortos e os seus corpos e entranhas pendurados dos ramos de represeiros).

Mas os nortenhos ainda retêm parte dos velhos hábitos nos costumes e no comportamento. A sua vida é mais dura, portanto são endurecidos por ela, e os prazeres que no Sul são considerados nobres são vistos como infantis e menos valorosos do que as caçadas e o alarido que os nortenhos preferem.

Mesmo os nomes das suas Casas nobres os distinguem, pois os Primeiros Homens usavam nomes que eram curtos, diretos e pertinentes; nomes como Stark, Will, Umber e Stout derivam dos dias em que os ândalos não tinham qualquer influência no Norte.

Um costume notável que os nortenhos acarinham mais que qualquer outro é o direto de hóspede, a tradição de hospitalidade para qual um homem não poderá fazer mal a nenhum hóspede alojado sob o seu teto, nem a um hóspede da sua hoste. Os ândalos também tinham costumes algo parecidos, mas o direito de hóspede é menos relevante para as mentes meridionais. No seu textos Justiça e Injustiça no Norte: Julgamento de Três Senhores Stark, o Meistre Egbert nota que crimes, no Norte, em que o direito de hóspede tenha sido violado eram raros mas eram invariavelmente tratados com tanta dureza como a mais terrível das traições. Só o assassínio de parentes é considerado tão pecaminoso como a violação das leis da hospitalidade.


WINTERFELL – A capital do Norte

|A História de Winterfell

O maior castelo do Norte é Winterfell, sede dos Stark desde a Era da Aurora. Diz a lenda que Brandon, o Construtor, construiu Winterfell após o inverno que durou uma geração e é conhecido como Longa Noite, a fim de se tornar a praça-forte dos seus descendentes, os Reis do Inverno. Como Brandon, o Construtor, está ligado a um número improvável de grandes obras (Ponta Tempestade e a Muralha, para não indicar mais de dois exemplos de destaque) que abrangeram o período de inúmeras vidas, as histórias terão provavelmente transformado algum antigo rei, ou vários reis diferentes da Casa Stark (pois houve muitos Brandons no longo reinado dessa família) em algo mais lendário.

O castelo propriamente dito é peculiar no facto de os Stark não terem nivelado o terreno quando assentaram os alicerces e muralhas do castelo. Muito provavelmente, isso revela que o castelo foi construído aos bocados aos longos dos anos em vez de ter sido planeado como estrutura única. Alguns estudiosos suspeitam de que terá sido em tempos um complexo de fortes anelares interligados, embora os séculos tenham erradicado quase todos os sinais disso.

Fonte: http://cdn2.artofthetitle.com/

Planta de Winterfell

Calcula-se que as muralhas interiores, que foram em tempos as únicas muralhas defensivas, terão cerca de dois mil anos de idade, e é possível que algumas secções sejam ainda mais velhas. Em anos mais recentes foi construído um fosso defensivo à volta delas e depois ergueu-se uma segunda muralha á frente do fosso, dando ao castelo uma defesa formidável. As muralhas interiores erguem-se a uma altura de trinta metros, as exteriores a vinte e quatro; qualquer atacante que lograsse capturar a muralha exterior ainda iria encontrar defensores nas muralhas interiores a arremessar lanças, pedras e setas conta si.

No interior das suas muralhas, o castelo abrange vários acres de terra, incluindo muitos edifícios isolados. O mais antigo entre eles – uma torre à muito abandonada, redonda e atarracada e coberta de gárgulas – ficou conhecido como Primeira Torre. Alguns crêem que isso significa que foi construída pelos Primeiros Homens mais o Meistre Kennet provou definitivamente que não podia ter existido antes da chegada dos ândalos, visto que os Primeiros Homens e os primeiros ândalos, construíam torres e fortalezas quadradas. Torres redondas surgiram um pouco mais tarde.

 Para o olho treinado, a arquitectura de Winterfell é uma amálgama de muitas eras diferentes. E a sua vastidão não só engloba edifícios mas também áreas cobertas. De facto, três acres inteiros são dedicados a um antigo bosque sagrado, onde a lenda nos diz que Brandon, o Construtor, rezou em tempos aos seus deuses. Quer isto seja verdade, quer não seja, a antiguidade do bosque é incontestável. E não há dúvida que o bosque beneficia das nascentes quentes que contém e que protege as árvores dos piores frios de inverno.

De facto, a presença das nascentes quentes – que salpicam a terra em volta de Winterfell – pode ser a razão principal para os Primeiros Homens se terem instalado inicialmente aí. Podemos facilmente imaginar o valor que uma fonte de água acessível – e de água quente, ainda por cima – teria tido nas profundezas de um inverno nortenho. Em séculos recentes, os Stark construíram infraestruturas que usam directamente essas nascentes a fim de aquecer as suas habitações.

|Winterfell em Game of Thrones © HBO


Fontes: A Wiki of Ice and Fire/Wiki Game of Thrones Br/O Mundo de A Guerra dos Tronos

About Jon

Nascido entre o Gelo e o Fogo, descendente de duas das grandes casas de Westeros, Targaryen e Stark. Um apaixonado por este mundo que nos seus tempos livres dedica-se a fazer aquilo de que mais gosta, descobrir e dar a conhecer mais sobre este mundo.